04/11/2015
Amor? Não, dessa fez não era, nunca foi, nem no comecinho. Carência, talvez, tinha acabado de perder pessoas importantes e você me confortou, mas não era amor e sei disso porque não senti nada que me fizesse querer você desesperadamente. E dai se sou de Sagitário? Também sei sentir.
Sei também que não era amor porque eu deixei você ir e voltar depois, ir novamente, conhecer outras pessoas e voltar, não me importei de te perder mais de duas vezes e, como já disse, sou de Sagitário não gosto desse vai e volta, ou você fica ou você vai, não os dois ao mesmo tempo. Mas você era tão insignificante pra mim que deixei você fazer o que quiser, não me importo com você.
Não era amor nem da minha parte e muito menos da sua, que é de Peixes, - eu não sei de nenhuma característica de Peixes, só pra você saber como você realmente é tão insignificante pra mim que eu não tive nem o trabalho de pesquisar sobre seu signo, e eu pesquiso o signo até do cara que eu troquei olhares no ônibus - você apareceu quando eu precisei e partiu quando eu não precisava mais, e quando eu precisei de novo você não estava mais lá e eu não me importei porque eu sou de Sagitário e sei me virar sozinha.


Tínhamos um encontro marcado no dia 24 de outubro, o show do nosso cantor favorito. Você sabe que eu não fui porque preferi ficar em casa estudando, e eu sei que você preferiu ir para uma baladinha qualquer, mesmo sendo seu cantor favorito - ou talvez não é mais - . Não tínhamos motivos pra ir, afinal não nos falamos há uns 6 meses, mas alguma coisa dentro de mim dizia pra eu ir, seria como aqueles filmes românticos que o casal se reencontra depois de muito tempo em um encontro marcado há muito tempo, mas eu sabia que você não apareceria e mais uma vez o ficaria sozinha no meio de uma plateia de casal no show de um cara que só canta musicas românticas, como no show do Nando Reis que você não foi e eu fiquei sozinha, como naquele filme que marcamos de assistir juntos no sessão das 15:20 e você não apareceu, e é por isso que eu sei que não era amor - até porque no dia da sessão de cinema eu conheci um cara que parecia com o protagonista do filme e saímos juntos.
Você me chamou no WhatsApp para marcar para irmos em um outro show e mesmo sabendo que eu não ia porque tinha outra coisa para fazer eu disse que ia, você não foi - eu também não - e mandou uma mensagem pedindo desculpas, eu já sabia.
Você ficou chateado quando falei para parar de me procurar, me perguntou se eu achava que nunca tinha sido amor e eu respondi com toda a delicadeza de uma sagitariana: "eu tenho certeza que nunca foi" e você insistiu dizendo que foi. "Eu tô cansada" "Não, você só quer fugir das suas responsabilidades", poderia responder que o irresponsável era você, você que tinha esquecido de todos os nossos encontros marcados, mas estava realmente cansada para começar uma nova discussão e então peguei minhas coisas e sai - se fosse amor eu ficaria até deixar você calmo, mas você é tão insignificante pra mim que eu bati a porta, desci o elevador e esqueci você tão rápido como esqueço o que eu almocei, você é tão insignificante que esse texto não é nem sobre você e sim para explicar como eu sei que não é amor.


Sobre mim

Sobre mim
Uma comédia romântica com trilha sonora na voz de Renato Russo e Tiago Iorc, com créditos para Cícero, Phill Veras e Soulstripper. Tenho 20 anos, sou sagitariana, mas controlada. Moro na cidade luz, a da chuva da tarde, mangueiras, do açai e tacaca e só saio daqui para uma breve viagem ao redor do mundo. Fã de carteirinha de bandas que não existem mais e cantores desconhecidos. Em busca do grande sonho que é a independência e felicidade no mesmo pacote.

Marcadores

Tecnologia do Blogger.

Twitter